Náutico reage em jogo dramático, elimina o Paysandu nos pênaltis e vai à Série B

Resultado de imagem para nautico festeja acesso
Foto: Reprodução

O Náutico viveu um dos momentos mais emocionantes de sua história recente na tarde deste domingo. Após empatar por 0 a 0 no Pará, o Timbu recebeu o Paysandu nos Aflitos pelo duelo de volta das quartas de final da Série C e viu o adversário fazer 2 a 0, mas buscou o empate com um gol aos 53 minutos do segundo tempo e levou a decisão para a marca da cal, onde o goleiro Jefferson pegou a única cobrança, garantiu o 5 a 3 e decretou o acesso da equipe à segunda divisão, para alegria dos alvirrubros, que, enlouquecidos, invadiram o gramado para comemorar.

Líder do Grupo A na fase inicial, o Náutico supera o pesadelo vivido diante do Bragantino na ultima temporada, quando perdeu a classificação em casa, na Arena Pernambuco, e volta à Série B após dois anos com uma jornada inesquecível. A equipe de Gilmar Dal Pozzo espera quem avança do confronto entre Juventude e Imperatriz para saber o adversário das semifinais.

Um ano após o doloroso rebaixamento à Série C, o Paysandu eliminou o rival Remo na última rodada da primeira fase, mas vive um novo tormento após construir uma ótima vantagem e sofrer o empate nos acréscimos com um pênalti polêmico marcado por Leandro Pedro Vuaden. Assim, o Papão da Curuzu terá que amargar mais um ano na Série C.

Paysandu abre vantagem valiosa

Mesmo jogando longe de seus domínios, o Paysandu foi o time que mais procurou o gol na primeira etapa e alcançou o objetivo aos 24 minutos, quando Vinícius Leite recebeu, trouxe para a perna direita e arriscou de média distância. A bola bateu no peito de Diego, pegou efeito e tocou na trave antes de, caprichosamente, morrer no fundo das redes.

O Náutico sentiu o gol e contou com Camutanga para sair sem um prejuízo maior no primeiro tempo. Nicolas foi lançado, driblou o goleiro e finalizou para o zagueiro salvar. O Timbu até tentou uma pressão nos minutos finais, mas sem sucesso.

O Paysandu aproveitou uma desatenção do adversário para aumentar a vantagem aos nove minutos da etapa derradeira. Tony foi acionado pela direita e cruzou rasteiro. Nicolas apareceu como homem surpresa, acertou uma letra de rara felicidade e viu a bola bater no travessão antes de entrar.

Com drama, Náutico reage, leva a decisão aos pênaltis e vai à Série B

Com o 2 a 0 contra no placar, torcedores do Náutico chegaram a deixar os Aflitos, mas a equipe, mesmo abatida, diminuiu. Willian Simões cruzou da esquerda, Álvaro subiu mais que a zaga e cabeceou com força. A trave mudou de lado, empurrou a bola para as redes e inflamou a torcida alvirrubra.

Em busca do tudo ou nada, o Timbu se lançou ao ataque e alcançou o empate nos acréscimos. Caíque Oliveira foi tirar de cabeça e a bola bateu no braço de Uchôa. Sem o auxílio do VAR, Leandro Pedro Vuaden analisou o toque como intencional e sinalizou com o pênalti. Após muita confusão, Jean Carlos, aos 53 minutos, encheu o pé, empatou a partida e levou a decisão para a marca da cal.

Nos pênaltis, Jean Carlos, Jhonnatan, Willian Simões, Josa e Mateus Carvalho converteram todos para o Náutico, enquanto Caíque Oliveira, Tony e Uchôa fizeram para o Paysandu, mas Jefferson pegou a cobrança de Wellington Reis, garantiu o 5 a 3 para o Timbu e colocou a equipe na Série B para alegria dos alvirrubros, que, enlouquecidos, invadiram o gramado dos Aflitos.

 

 

 

 

 

Fonte: Gazeta Esportiva