‘Derrota em clássico machuca’, diz auxiliar de Luxemburgo após Vasco ser goleado

Resultado de imagem para auxiliar Maurício Copertino
VASCAÍNOS UNIDOS

 

A goleada por 4 a 1 sofrida para o Flamengo deixou os jogadores e comissão técnica do Vasco “machucados”, segundo o auxiliar Maurício Copertino, que concedeu entrevista coletiva. O técnico Vanderlei Luxemburgo não conseguiu participar da conversa com os jornalistas no estádio Mané Garrincha, em Brasília, porque foi informado do falecimento de sua irmã, Leocádia.

Apesar de elogiar o primeiro tempo, Copertino lamentou o gol sofrido nos minutos finais. Entretanto, ele pediu apoio da torcida no próximo jogo, contra o São Paulo, que marca o retorno do Vasco a São Januário após um mês. “Tomar aquele gol no fim do primeiro tempo fugiu ao que o Vanderlei tinha proposto. A responsabilidade é toda nossa. A derrota no clássico machuca, estamos sofrendo, mas já temos que pensar no próximo jogo. A torcida deve continuar acreditando. Não devemos julgar o jogo de hoje e esquecer do trabalho que vem sendo realizado”, ressaltou.

Copertino também comentou sobre a opção de Marquinho, jogador que foi muito criticado pela torcida. Apesar de entender os protestos, ele reafirmou que o atleta tem total confiança da comissão. “O Marquinho faz parte do nosso elenco. Era uma das opções que estávamos trabalhando e tem toda a nossa confiança. Lógico que a gente entende a torcida do Vasco, mas sempre procuramos o melhor para o Vasco. Ele fez um grande primeiro tempo e peço à torcida que entenda a situação”, pediu.

Ele também explicou sobre o posicionamento de Bruno César, que tinha o objetivo de colocar mais na frente o Vasco. “O Bruno César já vinha atuando na parte direita do ataque. Achamos que ele entrando ali, nós poderíamos criar alguma situação de gol. Ele poderia dar um passe, aproveitando a velocidade do Tiago Reis entre os zagueiros. No primeiro tempo, nós estávamos finalizando bem, mas no segundo tempo não. A ideia de colocar o Bruno era melhorar isso e colocar o time para frente”, finalizou.

A derrota no clássico também deixou os jogadores vascaínos frustrados. Uma confusão entre jogadores dos dois times se formou depois da partida, mas logo foi resolvida. O meia Bruno César, que entrou no segundo tempo e perdeu um pênalti quando o placar estava 3 a 1 para o Flamengo, não concedeu entrevista. Nem Yago Pikachu, que bateu o primeiro pênalti. Os dois foram defendidos por Diego Alves, goleiro do Flamengo. Outros jogadores vascaínos até derrubaram uma das grades a caminho do vestiário.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estadão Conteúdo