A crise financeira do Cruzeiro tem refletido diretamente no dia a dia do clube, inclusive no atraso de salários de funcionários de jogadores. A Raposa mais uma vez passou da data de pagamento de seus colaboradores. A quitação dos valores deveria ter sido feita na última quarta-feira, dia 7, quinto dia útil de agosto.

Funcionários da parte administrativa e jogadores do profissional também não receberam o ordenado do mês. Apenas os que recebem até R$ 2500 tiveram os depósitos efetuados. A diretoria da Raposa avisou que está trabalhando para acertar as pendências nos próximos dias.

Além do caixa baixo, o Cruzeiro contava com o recebimento de 2 milhõe de dólares(cerca de R$ 6 milhões) da venda do volante Lucas Romero para o Independiente-ARG. O time argentino ainda não efetuou o pagamento que será à vista, como solicitou o Cruzeiro para liberar Romero.

A saída de Romero rendeu dinheiro, mas também o perdão do time argentino de uma dívida 1,8 milhão de reais pela compra de Matías Pisano em 2015.

O time celeste deixou de cumprir seus compromissos financeiros com seus colaboradores pelo segundo mês seguido, tendo inclusive de parcelar alguns vencimentos de funcionários e jogadores.