A comissão técnica do São Paulo voltou da folga disposta a colocar em prática o plano de reformulação do elenco, e logo no primeiro dia tirou quatro jogadores do grupo que foi para a concentração em Cotia: Nenê, Jucilei, Bruno Peres e Biro Biro. Todos foram liberados para procurar clubes, enquanto o Tricolor já encontrou peças de reposição para três deles. Somente a lateral direita, que já era um problema antes da pausa, permanece carente de um titular.

Nas outras posições do setor defensivo, há pelo menos dois jogadores para cada uma. No gol ,Tiago Volpi e Jean garantem um certo equilíbrio, apesar de o titular já começar a se destacar muito mais do que o reserva. Na zaga, Arboleda, Bruno Alves, Anderson Martins e Walce já mostraram que o rodízio não vai afetar a qualidade do sistema. Na lateral esquerda, Reinaldo é o  titular absoluto, mas Léo pode cumprir o papel sem alterar demais o nível.

O setor de meio-campo perdeu, na teoria, Jucilei e Nenê, mas as duas baixas já foram repostas com jovens da base de Cotia: o volante Diego e o meia Gabriel Sara foram promovidos pela comissão técnica e se juntam a nomes como Luan, Tchê Tchê, Liziero, Hudson, Willian Farias, Vitor Bueno e Hernanes, que possibilitam a Cuca variar o esquema tático e o estilo de jogo do time, até mesmo mudar dependendo do rival, sem que haja tanta perda de qualidade.

No setor ofensivo, apesar da cobrança do treinador por um centroavante com mais presença de área, há peças interessantes, que permitem montar uma boa formação no setor. Pelas pontas, Antony, Helinho, Toró, Everton, Everton Felipe e Calazans são as opções. Já no comando de ataque, Alexandre Pato e Pablo seriam os nomes, o que não impedem de jogar juntos, como espera a torcida e planeja o técnico Cuca, que não vê a dupla como homens de área.

Assim, o problema principal no momento é mesmo a lateral direita. Sem Bruno Peres, que inicialmente seria o titular da posição, resta apenas Igor Vinícius, contratado da Ponte Preta para ser a reposição no setor. Como o jogador da Roma acabou perdendo espaço ao longo do primeiro semestre, a ordem foi invertida, mas o jovem de 22 anos ainda não se firmou, e o volante Hudson foi improvisado na posição. O consenso entre diretoria e comissão técnica é de que um lateral-direito é a prioridade na busca por reforços.

Sem muito dinheiro para investir em contratações, os dirigentes não podem errar nessa procura. Dessa forma, o lateral-esquerdo Adriano, ex-Besiktas, que também joga pela direita, e está livre no mercado, aparece como o favorito para ocupar a posição. As negociações já estiveram mais próximas de um acerto, hoje elas esfriaram, mas não estão encerradas, pois acredita-se que é um atleta para chegar e jogar, pela qualidade e experiência internacional.

Nesta sexta-feira, diante do São Bento, o São Paulo realiza um jogo-treino, às 15h30, no CT de Cotia. A tendência é que Hudson seja o titular da lateral direita e Igor Vinicius entre no decorrer da atividade, como segunda opção. Tchê Tchê, que já fez essa função quando jogava pelo Palmeiras, também  pode pintar na posição neste início de retomada, até o retorno aos jogos oficiais, contra o Verdão, no dia 13 de julho, às 19h, no Morumbi, pelo Brasileirão-2019.