Willians aciona Cruzeiro na Justiça do Trabalho e cobra mais de R$ 1,7 milhão do clube

Willians jogou pelo Cruzeiro em 2015 — Foto: Washington Alves/Light Press
Willians jogou pelo Cruzeiro em 2015 — Foto: Washington Alves/Light Press

O Cruzeiro foi acionado na Justiça do Trabalho pelo volante Willians, que jogou pelo clube na temporada 2015. O meio-campista reclama o não pagamento de verbas trabalhistas, que somadas chegam, segundo as contas do jogador, a R$ 1.740.631,15. No dia 19 de junho, aconteceu a primeira audiência na 39ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte. Não houve acordo.

Willians assinou contrato com o Cruzeiro na gestão Gilvan de Pinho Tavares, com validade entre fevereiro de 2015 e agosto de 2016, vínculo que foi prorrogado até janeiro de 2018, de acordo com a petição inicial da ação.

Ao término do contrato, o jogador alegou pendências financeiras referentes ainda ao período da gestão de Gilvan (veja os detalhes abaixo). A petição diz que um acordo foi selado entre as partes, já na gestão Wagner Pires de Sá, para pagamento das verbas trabalhistas, contabilizando R$ 956.193,85.

Apenas a primeira parcela, na quantia de R$159.368,85, foi paga. Diante disso, Willians pede a nulidade do acordo, uma vez que o Cruzeiro não cumpriu o compromisso.

A defesa do volante diz ainda:

– De outra banda, o reclamado AGIU DE FORMA ARDILOSA E SORRATEIRA, DEBRUÇADO EM RELUZENTE MÁ FÉ, tudo para descaracterização dos direitos Trabalhistas do obreiro, chegando ao ponto de fazer constar no Instrumento que o último abriria mão do direito constante no art. 477 da CLT – diz a petição.

Fonte: Globoesporte