Brasil passa por cima da Rússia, sobe à liderança e fica a um ponto das finais da Liga das Nações

Wallace encara o bloqueio russo — Foto: Divulgação/FIVB
Wallace encara o bloqueio russo — Foto: Divulgação/FIVB

Depois do sufoco, a afirmação. Neste domingo, o Brasil foi à quadra em Cuiabá disposto a apagar o desempenho da noite anterior. Diante de um rival histórico, quis tornar tudo mais simples. Funcionou. Em 3 sets a 0, parciais 25/17, 25/21 e 28/26, a seleção bateu a Rússia e fechou a quarta semana da Liga das Nações com 100% de aproveitamento. De quebra, contou com o tropeço do Irã diante da França mais cedo para tomar a liderança da tabela (confira no fim da matéria).

A matemática diz que ainda existe um resquício de chance de uma tragédia. Mas, para ficar fora da fase final da Liga das Nações, o Brasil precisaria perder todos os seus jogos da próxima etapa. E, ainda assim, teria, também, de perder uma vantagem grande de sets average para ser ultrapassado pela Polônia, atual sexta colocada. Improvável – mas não impossível. Na competição, as cinco melhores seleções se juntam aos Estados Unidos nas finais, em Chicago.

Para garantir de vez a classificação sem ter de gastar o dedo na calculadora, o Brasil precisa de apenas um ponto na próxima etapa, em Brasília. A seleção estreia na quinta semana da Liga na próxima sexta-feira, contra a França, às 20h, com transmissão do SporTV2 e cobertura em tempo real do GloboEsporte.com.

Para limpar a alma

Zerado na partida contra a Alemanha, Wallace voltou à forma neste domingo. Contra a Rússia, saiu de quadra como maior pontuador, com 12 pontos. Lucarelli, com 11, veio logo atrás.

– Erramos muito pouco, principalmente no saque. Forçamos quando tínhamos de forçar. O bloqueio deles é pesado, mas foi muito pouco pelo tamanho do bloqueio deles. O objetivo foi concluído. Tem dias e dias. A gente vem conversando sobre isso. Eu e Bruno não treinamos muito. Por mais que a gente venha de muitos anos na seleção, querendo ou não, ele está adaptado a outro jogador lá fora. Com o tempo vai melhorando. Com certeza saiu um pouco melhor – disse Wallace.

Rodízio
Renan Dal Zotto voltou a mudar o time para a partida deste domingo. Reserva contra a Alemanha, Lucarelli voltou ao time titular no lugar de Leal. Lucão também começou jogando na vaga de Isac, ao lado de Maurício Souza no meio de rede.

Tudo igual

O triunfo também iguala o histórico do confronto entre as duas seleções. Em 68 jogos, o Brasil chegou à 34ª vitória contra a Rússia, mesmo número que tem a rival.

Os sets

Wallace subiu à rede e empurrou a bola para o lado de lá. Foi suficiente para que o oposto abrisse a contagem e deixasse para trás o zero de sua pontuação na noite anterior. Mas o início não foi dos melhores para os donos da casa. Logo depois, a Rússia saltou à frente e abriu 4/1 no placar, obrigando Renan Dal Zotto a parar o jogo. A reação foi imediata. No bloqueio de Maurício Souza, 5/5 na conta. Era um Brasil mais atento, ainda que seguisse errando mais que o normal. Aos poucos, a seleção passou a controlar as ações. No segundo tempo técnico, tinha 16/13. A partir dali, o set se mostrou fácil: 25/17, sem maiores sustos.

O Brasil quis acelerar as coisas. Na volta para o segundo set, o time manteve o mesmo ritmo e largou na frente no placar. Ainda que seguisse errando saques em sequência, os donos da casa chegaram à primeira parada técnica com 8/6 depois de ataque de Maurício Souza. A vantagem aumentou, mas a seleção permitiu a chegada da Rússia depois de uma série de erros. Foi com um deles que os rivais passaram à frente em 15/14. Foi só um susto. Logo, o Brasil voltou à frente e abriu 20/17 depois de bela cravada de Lucão. A Rússia ainda tentou encostar, mas deu fim às chances de reação com um saque para fora: 25/21.

A Rússia, claro, tentou reagir. Desde o início do terceiro set, tentou forçar mais o saque dificultar o passe brasileiro. Os donos da casa, no entanto, conseguiu se manter colado no placar a maior parte do tempo. Mas, em um erro de ataque da seleção, os visitantes abriram 18/15, e Renan Dal Zotto parou a partida. Os russos ficaram com o set point em mãos, mas a seleção conseguiu tomar a frente na marra. Com um ace de Alan, fim de papo: 28/26.

Escalações

Brasil: Bruninho, Wallace, Maurício Souza, Lucão, Douglas Souza e Lucarelli. Líberos: Thales e Maique. Entraram: Maurício Borges, Alan e Cachopa.

Rússia: Kovalev, Iakolev, Zemchenok, Voronkov, Podlesnykh e Kurkaev. Líbero: Martynyuk. Entraram:

Tabela de classificação

Tabela de classificação da Liga das Nações — Foto: ReproduçãoTabela de classificação da Liga das Nações — Foto: Reprodução

 Fonte: Globoesporte

00:00/08:45