A chegada de Richard ao Vasco faz o número de volantes do time comandado por Vanderlei Luxemburgo chegar a seis: além dele, já estão no grupo os atuais titulares Raul, Marcos Júnior e Andrey; e os reservas Lucas Mineiro e Fellipe Bastos. Parece muito, mas a disputa por vagas tem menos concorrentes do que num passado recente.

Quando esta temporada teve início eram oito, fora Bruno Cosendey que nunca esteve nos planos do clube e Bruno Ritter, que chegou a ser titular em 2018, mas retornou ao time sub-20. Nesta virada de semestre, Rodrigo, Willian Maranhão, Bruno Silva e Marcelo Mattos já saíram, por diferentes razões. Agora, com três jogadores da mesma posição titulares no time que voltou a vencer, a ideia é evoluir.

– Sem dúvidas o equilíbrio é fundamental para chegarmos bem no Brasileiro. Uma equipe que oscila precisa administrar crises o tempo inteiro. Precisamos corresponder em campo com resultados para mostrar que essa equipe é equipe equilibrada. Têm chegado atletas experientes e esperamos que nos ajudem nesse processo, que é difícil – avalia o goleiro Fernando Miguel, em tese mais protegido neste sistema.

Dentre os que deixaram o clube, uns atuavam menos, outros já nem tinham perspectiva de aproveitamento. O caso mais curioso foi o de Bruno Silva, que renovou o contrato e pouco depois o rescindiu judicialmente. Sobre chegadas, além do mais recentemente contratado, Marcos Júnior foi anunciado após o fim do Campeonato Carioca. E já faz da titularidade um hábito.

– Este momento eu sonhei e, hoje, estou vivendo. É gratificante, feliz de minha parte. E o momento da equipe tende a melhorar. Estamos trabalhando para melhorar. Já saímos da zona da confusão e, agora, vamos trabalhar para conquistarmos coisas maiores – explicou o ex-jogador do Bangu.

Além dos seis volantes do grupo principal, os juniores Caio Lopes e Bruno Gomes também são requisitados, vez ou outra, para treinamentos com o time de cima. Contudo, a vida dos mais jovens e dos mais experientes promete se acirrar ainda mais, principalmente se ocorrer o que o torcedor deseja: a evolução do Vasco na tabela.

Isso porque Luxemburgo já afirmou que pretende, sim, tornar a equipe mais ofensiva. Ou seja, quando o time se tornar mais confiante, algum dos três perderá vaga.