Joia japonesa que fechou com o Real Madrid pede para não ser comparado a Messi

Resultado de imagem para Joia japonesa que fechou com o Real Madrid pede para não ser comparado a Messi
INTERNET

Takefusa Kubo ainda não é um nome conhecido mundialmente, mas parece ter isso quase certo no seu futuro. Joia da equipe do Japão que disputa a Copa América, o jovem foi a grande atração da noite da segunda-feira, no estádio do Morumbi. Mesmo com a derrota do seu time por 4 a 0 para o Chile, das estrelas Arturo Vidal, único que atriu mais atenção, e Alexis Sánchez, foi alvo da imprensa e pediu para que parassem de compará-lo com o argentino Lionel Messi.

“Não gosto que me comparem com um jogador tão grande quanto o Messi”, comentou o canhoto, em espanhol praticamente perfeito, aperfeiçoado pelos anos nas categorias de base do Barcelona. O atleta, porém, tem seu destino para os próximos anos já selado com o Real Madrid, que acertou sua contratação para a próxima temporada. A princípio, ele reforça o time B, em procedimento semelhante ao realizado com Vinícius Júnior.

“Eu só penso na Copa América. Quando acabar tudo, eu pensarei”, afirmou o jogador, bastante assertivo para alguém que ainda vive o final da adolescência e recebe tanta atenção praticando um esporte idolatrado pelos japoneses, mas muito mais bem jogado pelos brasileiros.

A importância da participação da jovem equipe, aliás, foi retratada pela presença massiva de jornalistas japoneses no Morumbi. Ao menos 20 repórteres estiveram no local e protagonizaram cenas pouco comuns no cada menos intenso contato entre atletas e jornalistas. Maior astro do grupo, Shinji Okazaki, campeão inglês pelo Leicester, passou quase meia hora conversando com dois dos conterrâneos, sem pressa para seguir ao ônibus da equipe.

Atento a todas as perguntas, Kubo passou pelo companheiro, que tem 15 anos a mais que si (33 a 18), parando sempre que era chamado a falar, fosse em japonês ou espanhol. “Foi uma derrota muito dura para o time, mas temos que seguir em frente porque há mais dois jogos. Tive uma chance muito clara e isso me deixa muito triste”, concluiu o canhoto.

Os japoneses e sua legião de jornalistas agora rumam para Porto Alegre, local da partida contra o Uruguai, na quinta-feira, na Arena do Grêmio. A equipe, em preparação para as Olimpíadas de 2020, em Tóquio, depois fecha a primeira fase frente ao Equador, na segunda-feira, dia 24, no Mineirão.

 

 

 

 

 

 

 

Tomás Rosolino

FONTE – GAZETA ESPORTIVA