Sofrimento: As últimas horas de vida de Valdiram antes de ser assassinado a pauladas

Resultado de imagem para valdiram
VEJA.ABRIL

 

As últimas horas de vida de Valdiram antes de ser assassinado a pauladas na zona norte de São Paulo na madrugada de 19 de abril foram de agressões com chutes, socos, golpes de pedaço de pau e tentativa frustrada de fugir da morte. Imagens de câmeras de segurança, relatos de testemunhas e dos dois suspeitos presos levam a polícia a crer que o ex-jogador do Vasco sobreviveu ao espancamento por mais de três horas até morrer na calçada da rua Santa Eulália.

As investigações do crime estão a cargo do departamento de homicídio da Polícia Civil de São Paulo (DHPP). Segundo o delegado que lidera o caso, Vander Cristian Rodrigues, Valdiram começou a ser agredido por volta da meia-noite do dia 19 de abril no bairro Santana, zona norte de São Paulo.

As câmeras de segurança do Centro de Controle de Zoonoses registravam 3h54 quando um dos suspeitos é visto andando pela rua com um pedaço de pau em mãos e desferindo golpes contra o ex-jogador.

Dois suspeitos, moradores de rua, estão presos suspeitos do crime. Eles e testemunhas ouvidas pela polícia alegam que Valdiram foi morto por ter praticado ato libidinoso contra uma criança de 3 anos.

As primeiras agressões: socos e chutes

O primeiro suspeito preso é padrasto da criança de 3 anos. Viviam em uma barraca na região ele, a mulher, a criança e a avó da criança.

“Ele narrou que é catador de papel. Quando voltou à barraca à noite, por volta da meia-noite de sexta, ele alega que viu o Valdiram dentro da barraca sem roupa e interpretou que estivesse praticando ato sexual contra a criança e por isso iniciaram as agressões. Ele confirma a agressão firme com socos e pontapés”, contou o delegado Vander Cristian Rodrigues.

As primeiras agressões duraram em torno de 25 minutos e Valdiram teria ficado imóvel próximo à barraca. “O primeiro suspeito relata que Valdiram cai. Depois ele acaba conversando com outro morador da região, o segundo suspeito que também agride o ex-jogador. Ele [Valdiram] retoma as condições e foge”, explicou Rodrigues.

As pauladas

Valdiram foi encontrado morto próximo à barraca onde começaram as agressões, em frente ao Centro de Controle de Zoonoses.

“Ele sai do local cambaleando, acho que percorre uns 400 metros e chega na calçada do Centro de Zoonoses, e o segundo suspeito aparece com um pedaço de pau. Ali ele desfere golpes. O segundo suspeito o persegue e desfere os golpes fatais, e vai embora. Foi isso que conseguimos evidenciar nos autos”, relatou Vander Cristian Rodrigues. O horário exato que Valdiram chega à calçada do Centro de Controle de Zoonoses não é visto nas imagens das câmeras de segurança obtidas pela reportagem.

“Quando a gente vê as imagens, elas não são nítidas até para verificar onde foram os golpes, é impreciso. Mas o exame revela lesões múltiplas pelo corpo. Podem ser pauladas, chutes, agressões anteriores. A causa da morte foi traumatismo cranioencefálico”, analisou o delegado.

Os suspeitos estão presos temporariamente por 30 dias para a continuidade das investigações. Eles devem ser indiciados por homicídio doloso. Nenhum dos dois tem advogados de defesa.

Valdiram foi acusado por moradores de rua

Moradores de rua ouvidos pelo UOL Esporte na última semana se referiram a Valdiram como “Jack”, palavra usada por quem vive na rua para se referir a estupradores. As testemunhas ouvidas pela polícia relatam que o jogador foi morto por ter praticado atos libidinosos contra criança de 3 anos.

Temos evidências robustas nos autos de que ele praticou ato libidinoso contra a criança. Duas testemunhas comprovam, além da narrativa do suspeito. Além disso, ele foi encontrado nu. Tem testemunhas que dizem ter visto ele caminhando com camiseta preta tentando cobrir as partes genitais, ele foi encontrado nessas condições e tem uma testemunha que estava dentro da barraca e diz que ele estava só de camiseta na barraca, a avó da criança. Esses elementos nos trazem indícios. Quem foi ouvido é uníssono no sentido de que ele teria praticado um ato libidinoso com uma criança de 3 anos”, conta o delegado.

A criança foi encaminhada para hospital para a realização de exames, que, a princípio, não apontaram indícios de conjunção carnal.

Ao longo da carreira de jogador, Valdiram fez sucesso no Vasco, mas também ganhou espaço pelas polêmicas. Ele teve contrato encerrado no Belenense em Portugal porque teria tentado estuprar uma mulher em 2003.

O UOL apurou que Valdiram foi acusado duas vezes de tentativa de estupro no interior de São Paulo. Os dois casos são de 2001. O primeiro deles contra uma adolescente de 14 anos e o segundo contra uma ex-namorada. Em entrevista após o fato envolvendo a ex, Valdiram admitiu ter agredido a mulher.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Do UOL, em São Paulo