A Red Bull planeja grandes coisas para a marca no futebol brasileiro. Dona do RB Brasil, clube sediado em Campinas que vem fazendo a segunda melhor campanha no Paulistão, mas na Série D do Brasileirão, a matriz pressiona para ter um clube entre as principais divisões nacionais. Por isso, a empresa procura uma equipe com vaga garantida pelo menos na Série B para fazer parcerias ou até mesmo comprar alguma equipe desta divisão.

De acordo com o site Gazeta Esportiva, três clubes interessam a matriz: Oeste (Barueri), Bragantino (Bragança Paulista)  e Paulista (Jundiaí). A princípio, o Red Bull tem prioridade para fechar com o Oeste e o Paulista. Explica-se: por conta do CT do Toro Loko ser na cidade de Jarinu, próximo a estas equipes, elas são os principais alvos para compra.

Com a parceria, o RB Brasil herdaria a vaga do Oeste na Série B e utilizaria as estruturas do Paulista de Jundiaí para realizar as partidas, mandando seus jogos no Estádio Jayme Cintra. Além disso, financiaria o time de Jundiaí, que está na quarta divisão paulista. No entanto, o presidente do Oeste, Ernesto Francisco Garcia, afirmou que rejeitou a oferta, que seria na casa de R$ 45 milhões de reais. As conversas entre as partes continuam e a venda ainda pode acontecer. O RB Brasil mantém a esperança de um acordo.

Já o presidente do Paulista, Pepe Verdugo, declarou ao Globo Esporte que vê a parceria com bons olhos, mas que a definição ficou para o ano que vem.

– Ficou para 2020, mas estamos confiantes em um desfecho positivo. Existe uma dificuldade pela aprovação por ser uma empresa estrangeira, mas está tudo certo. Teremos Paulistão e Série B na cidade de Jundiaí, em uma parceria boa para todos – afirmou.

Pelo lado do Bragantino, o treinador Marcelo Veiga, em declaração a Gazeta Esportiva, afirmou que o presidente do Massa Bruta garantiu que não venderá o clube.

– Domingo pela manhã conversei com o presidente e ele me disse que não tinha nada, que jamais faria um negócio desses por compromissos com a família e a cidade. Pedi para que ele conversasse com o elenco sobre isso e marcamos o papo para terça-feira de manhã. Ele ficou de falar com todos a respeito disso – declarou.

Veiga mostrou ressentimento quanto o futuro do emprego, caso os clubes confirmem a parceria.

– Não sei se mudou algo. Mas ele (presidente) garantiu que não venderia o clube. Vamos aguardar. Tomara que a notícia seja mentira, porque senão a gente acaba perdendo o emprego – finalizou o treinador.

O Red Bull Brasil foi fundado em 2007, mantido pela empresa de bebidas energéticas Red Bull. A cidade escolhida para abrigar o clube foi Campinas, que já contava com a estrutura de Guarani e Ponte Preta. O estádio Moisés Lucarelli, da Macaca, foi o escolhido para sediar os jogos do Toro Loko.

Em 2008, o clube começou a sua caminhada no futebol profissional e no ano seguinte já conseguiu o acesso para a Série A3 do Paulista. Em 2014, subiu para a Série A1 do campeonato regional, posto que ocupa até hoje. Em 2015, estreou na Série D, entrando na ‘escalada’ do futebol nacional.

Este ano, sob o comando de Antonio Carlos Zago, o Red Bull faz a segunda melhor campanha do Paulistão, com 21 pontos ganhos, atrás somente do Santos. Mas, por conta da pressão da filial em ter uma equipe disputando competições de melhor calibre, o time campineiro corre risco de trocar de sede.

A CBF não tem um regulamento específico sobre mudanças de cidades ou compra de um clube por outro. No entanto, ainda na gestão de Ricardo Teixeira, a entidade publicou normas que obrigam os clubes a apresentarem e justificarem os benefícios das mudanças, além do pagamento de uma taxa administrativa à entidade, sem a citação de um valor pré-estabelecido. Porém, a mudança deve ser avisada antes da divulgação dos regulamentos gerais das competições.

A franquia Red Bull pelo mundo

Há 10 anos no Brasil, a Red Bull mantém vários clubes ao redor do mundo. A empresa possui equipes na Áustria (RB Salzburg), onde a companhia foi criada em 1987, na Alemanha (RB Leipzig) e nos Estados Unidos (New York Red Bulls). Além do futebol, a marca possui parcerias na Fórmula 1 e no hóquei sobre gelo.