Anunciado como novo técnico do Serrano-PB, Celso Teixeira vive a incerteza de assumir o comando

Celso Teixeira foi anunciado na semana passada como treinador do Serrano-PB para as três últimas partidas do time na primeira fase do Campeonato Paraibano. A essa altura, a luta do Lobo da Serra é, definitivamente, na parte de baixo tabela. Último colocado do Grupo A com cinco pontos, só venceu uma partida e via no treinador a possibilidade de inflamar o brio dos atletas em busca de uma reversão no torneio. No entanto, uma punição sofrida em 2018, ainda como técnico do Campinense, gera interrogações sobre a efetivação de Celso no comando técnico da equipe de Campina Grande.

 

No primeiro Clássico dos Maiorais da temporada passada, no dia 28 de janeiro, Celso Teixeira foi expulso no intervalo pelo árbitro da partida, João Bosco Sátiro (banido do futebol por estar envolvido em manipulação de jogos). Na súmula da partida, o ex-árbitro acusou o treinador de reclamações e ofensas contra a equipe de arbitragem. O julgamento da expulsão aconteceu no mesmo dia em que Celso foi demitido da Raposa, no dia 26 de fevereiro, quase um mês após o episódio. Celso Teixeira foi punido pelo Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB) com seis jogos de suspensão. A partir daí é que começa o imbróglio acerca das partes dessa punição.

Celso Teixeira afirmou que não tinha conhecimento da punição — Foto: Reprodução / FPF

Acontece que a redação do documento da punição decreta “aplicar a pena de suspensão de seis partidas de futebol”. Sendo assim, o texto deixa subentendido que o treinador não poderia exercer o seu papel à beira do gramado pelo Sinop-MT, na disputa do Campeonato Brasileiro da Série D, como fez a partir do mês de maio até a eliminação da equipe no torneio nacional.

Ao tomar conhecimento da punição, a diretoria do Serrano-PB entrou em contato com o Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB) para esclarecer até onde iria a condição de punição do novo comandante, já que não há uma especificidade se a punição é para somente competições organizadas pela Federação Paraibana de Futebol (FPF). O órgão respondeu à solicitação apenas certificando a punição de Celso Teixeira. De acordo com a secretaria do TJDF-PB, um posicionamento mais preciso acerca da punição só pode ser dado diretamente pelos dirigentes dos órgãos, se forem provocados.

Resposta do TJDF-PB para a notificação do Serrano-PB aconteceu no dia 1º de março — Foto: Reprodução / TJDF-PB

O que diz Celso Teixeira?

Ainda sem saber se trabalhou ou não de forma irregular no segundo semestre de 2018, o treinador afirmou à reportagem do GloboEsporte.com que não foi notificado pelo Campinense sobre o julgamento em fevereiro do ano passado.

– Não me avisaram. Nunca soube de nada, se receberam notificação. O Campinense era para ter avisado. Eu não fiz nada naquele dia (no jogo). Quando eu faço, eu falo. Bato no peito e falo. Mas eu não fiz nada – garantiu Celso Teixeira.

O técnico se mostrou desapontado com esse impasse extracampo. Ele ainda informou que não assumirá mais o Serrano-PB nas rodadas finais do Campeonato Paraibano. Por outro lado, adiantou que está acertado verbalmente com o Lobo da Serra para a disputa da Série D. O contrato pode ser assinado ao término do estadual. No momento, o treinador está em sua residência fixa, em Campinas, no interior de São Paulo.

Caso Celso não assuma o cargo, Evandro Júlio deve continuar à frente do comando técnico da equipe. O Serrano-PB enfrenta o Campinense no próximo sábado, no Estádio Amigão, às 17h. Posteriormente, enfrentará Esporte de Patos e Perilima em busca da sua garantia na elite do futebol paraibano. A reportagem tentou entrar em contato com a diretoria do Serrano e com o TJDF-PB, mas as ligações não foram atendidas.

Fonte: Globoesporte/PB