O Palmeiras corre sério risco de perder o seu capitão para a China. Bruno Henrique tem em mãos uma oferta para receber um salário superior a R$ 1,7 milhão no Tianjin Teda e o clube asiático está disposto a depositar os 6 milhões de euros (quase R$ 26 milhões) correspondentes à multa rescisória do jogador nos próximos dias.

Os valores oferecidos pelos chineses foram dados pelo Globo Esporte e confirmado pelo LANCE! O volante receberia 4,8 milhões de euros por temporada, cerca de R$ 20,5 milhões. Por enquanto, nenhuma oferta oficial chegou ao Verdão, mas basta o depósito da multa e o acerto com o jogador para que o meio-campista deixe o atual campeão brasileiro.

A possibilidade de perder Bruno Henrique para a China já causa temor no técnico Luiz Felipe Scolari desde as últimas semanas do ano passado. Ele questionou à diretoria sobre o valor da multa do volante, constatou um valor baixo para os padrões chineses e ficou preocupado por perder alguém tão fundamental no esquema do campeão brasileiro.

O que dava esperança a Felipão e sua comissão era a postura do jogador, que fez 29 anos em outubro e vinha sendo elogiado publicamente por Tite, perdendo a chance de ir para a Seleção Brasileira no último semestre por estar em meio a jogos decisivos do Palmeiras. A possibilidade de defender o país poderia ser um atrativo capaz de segurá-lo por mais um tempo.

Caso a negociação se concretize, Bruno Henrique terá sua segunda experiência no exterior. Ele defendeu o Palermo, da Itália, por um ano até ser comprado pelo Palmeiras por cerca de 3 milhões de euros (R$ 11 milhões, na época) em junho de 2017, com contrato registrado na Federação Paulista de Futebol até 31 de maio de 2021. Com a camisa do Verdão, são 85 jogos e 18 gols. Na última quarta-feira, o camisa 19 perdeu um pênalti na vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo de Ribeirão Preto, no Allianz Parque, pelo Paulista.