Final da Copa do Brasil Sub-17 é adiada após surto de caxumba no Flamengo

Flamengo e Fluminense disputam a final do Sub-17 da Copa do Brasil
Flamengo e Fluminense disputam a final do Sub-17 da Copa do Brasil Foto: Mailson Santana / Fluminense

 

Em função do surto de caxumba no Flamengo, que já chega a sete jogadores do Sub-17 infectados até o momento, a final da Copa do Brasil contra o Fluminense foi adiada. O segundo jogo da final aconteceria na noite desta terça-feira, às 21h30 (de Brasília), no Maracanã. Como mais atletas podem estar doentes, já que a doença pode demorar até 14 dias para se manifestar, o Rubro-negro fez um pedido formal à CBF e ao Fluminense para o adiamento.

Depois de conversas e um acerto entre as partes, ficou combinado que o jogo foi transferido para o dia 21 de dezembro, às 20h, com local ainda a ser definido. A primeira partida terminou com o empate em 1 a 1, no Maracanã.

No documento enviado à CBF, o Flamengo informou que não contaria com sete atletas em razão do surto da doença, número esse que poderia aumentar até o horário previsto para a partida.

– Todos os atletas e funcionários afetados eram vacinados, e apresentaram, devido a isso, os sintomas mais leves da enfermidade. Nenhum deles precisou ser internado, todos estão se recuperando em casa, sob as devidas orientações médicas. Ao iniciarem os primeiros sintomas da doença, foram imediatamente medicados, isolados e afastados de quaisquer atividades físicas, esportivas ou competitivas, como treinos e jogos, e colocados em repouso absoluto – explicou o Gustavo Dutra, médico do Departamento de Futebol de Base do clube.

A recuperação é por tempo indeterminado, com reavaliação no mínimo semanal da situação de cada um deles.

O Rubro-negro ainda informou que os ingressos que já haviam sido vendidos estão automaticamente validados para a nova data. Informações sobre o ressarcimento do valor para os torcedores que adquiriram ingressos mas não têm o interesse de comparecerem ao jogo no dia 21, serão divulgadas nos canais oficiais do Flamengo ao longo do dia.

ENTENDA O CASO

Na segunda-feira, véspera da partida, quatro jogadores do Sub-17 do Flamengo foram diagnosticados com a doença, com o número aumentando para seis no fim do dia. Mais um caso foi confirmado pelo Rubro-negro nesta terça-feira, chegando a sete doentes, com a possibilidade do número aumentar.

No Fluminense, nenhum atleta apresentou queixa ou sintoma da doença até agora, segundo a assessoria de imprensa.

Além dos sete atletas afetados pelo vírus, mais dois jogadores estão suspensos – Luis Gustavo e Gomes –, chegando no total de dez atletas fora do confronto. O time chegaria fragilizado porque alguns titulares e principais peças estão entre os doentes, entre eles o artilheiro Lázaro, que em 22 gols na temporada. Nathan, Bruninho, Lázaro, Sidney, Ramon, Weverton e Gabriel Noga também estão entre os doentes, conforme adiantou o site “Coluna do Flamengo” e confirmada pelo Extra.

Gabriel Noga até fez uma publicação no Twitter, no início desta tarde, para lamentar estar doente:

“Deus sabe o que faz”, escreveu o jovem com uma carinha de choro e mãos postas e rezando.O exame de sangue específico para caxumba não tem resultado imediato, demora alguns dias, o que para o jogo não adiantaria. A assessoria informou, ainda, que todo atleta que apresentar qualquer sintoma até o momento da saída do ônibus do CT, no Ninho do Urubu, em direção ao Maracanã vai ser prontamente afastado do jogo.

Além dos jogadores da categoria, o supervisor da base, um funcionário da FlaTV e oito atletas do Sub-20, onde detectaram o primeiro infectado, também estão afastados. O número ainda pode aumentar, já que que o vírus demora até 14 dias para se manifestar.

 

 

 

EXTRA.GLOBO