BOMBA! Clube de multinacional pode fazer fusão para chegar rápido no Brasileirão

Resultado de imagem para red bull paulista oeste

O Red Bull Brasil está planejando dar grandes voos no futebol brasileiro num curto prazo de tempo. Depois de 11 anos patinando para chegar à elite nacional sem sucesso, o clube quer atingir o seu objetivo por caminhos diferentes. Há alguns meses já negocia uma fusão com o Oeste e também a mudança de sua sede de Campinas para a cidade de Jundiaí, no interior de São Paulo.

O ‘novo’ Red Bull iria com isso ficar com a vaga do Oeste na Série B do Campeonato Brasileiro, já em 2019, e ficaria a um degrau da elite nacional. Desde 2015 está no Paulistão. A partir de 2020, os Bulls poderiam também mandar seus jogos no estádio Jaime Cintra, em Jundiaí, uma vez que desfrutam de um centro de treinamento na vizinha Jarinu.

Dúvidas no ar
Há ainda algumas dúvidas no ar, que talvez existam até para os dirigentes. Uma delas é se o Red Bull vai absorver o Paulista de Jundiaí, atualmente na segunda divisão. Outra é de que no momento em que a fusão – Red mais Oeste – se formalizar, haveria uma vaga a ser preenchida no Paulistão. O Oeste voltou à elite em 2018 ao ser vice-campeão da Série A2.

São questões que devem ser resolvidas pela Federação Paulista de Futebol (FPF) no seu tempo. A entidade, extra-oficialmente, acompanha toda a movimentação feita pelo Red Bull, bem como o alvoroço já causado por clubes do Interior interessados na vaga do possível extinto Oeste. Não se sabe qual critério a FPF adotaria para deixar a sua elite com os 16 clubes.

Dirigente confirma
Desde 2017 na presidência do Red Bull Brasil, Thiago Scuro, admite que o objetivo do grupo internacional, com sede na Áustria, é chegar à elite nacional o mais breve possível e que uma fusão pode ser um caminho mais rápido e mais barato.

“Há bom tempo a empresa estuda esta forma, porque o objetivo é ter um clube forte dentro do Brasil, como já tem na Áustria, na Alemanha e nos Estados Unidos” – explica Scuro, admitindo que realmente conversou com representantes do Oeste.

Ele reforça a tese defendida pela empresa pela dificuldade de se ter uma vaga para simplesmente disputar a Série D – a quarta divisão nacional.

“Para chegar ao Brasileirão temos que entrar na Série D, depois passar pela Série C e chegar na Série B. São anos de disputa e de muitos investimentos “ – explica.

Cartola desconversa 
Cidão Santos, investidor do Oeste, negou a existência de qualquer acordo. “Não sei de nada e não vou, de repente, ficar sem o clube” – reagiu.

Ele, porém, foi o grande responsável pela mudança de sede do Oeste, da pacata cidade de Itápolis, de 40 mil habitantes, para Barueri que dispõe de uma moderna arena e não conta mais com um clube profissional. Isso aconteceu em 2017.

Trajetória Rede Bull
Fundado em 2007, o Red Bull só alcançou a elite estadual em 2015, quando disputou pela primeira vez o Paulistão. O planejamento, com muito investimento, era sair da Segundona até o Paulistão em quatro anos, metade do tempo em que precisou para atingir seu objetivo – passando pelas Séries A3 e A2.

O fracasso em termos nacionais foi ainda maior. Disputou a Copa do Brasil em 2015, e duas vezes na Série D – 2015 e 2017. Sempre não passou da primeira fase. A política de restrição da empresa não permite a divulgação dos valores investidos. Mas pela estrutura do clube já se tem a nítida impressão de que o seu orçamento é superior a muitos grandes clubes do futebol brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *