Em seu auge no Palmeiras, Borja passa por primeira cirurgia no clube

FOTO – DJALMA VASSÃO/GAZETA PRESS

 

 

Se no início de 2018 um torcedor do Palmeiras fosse comunicado que não poderia contar com Borja por até seis semanas, devido a uma lesão do colombiano, provavelmente não ficaria preocupado. A situação atual, porém, é diferente e os palestrinos se unem a Roger Machado para quebrar a cabeça de como montar o Verdão sem seu artilheiro na temporada.

Se em seu primeiro ano no Alviverde, Borja marcou apenas 10 gols em 43 partidas, os números deste ano são muito mais positivos. Em 23 jogos pelo Maior Campeão do Brasil, o camisa 9 anotou 15 tentos. Comparando as médias, a melhora é ainda mais expressiva, saindo de 0,23 bolas nas redes por duelo para 0,65.

Além disso, nesta temporada, os gols de Borja são ‘garantias’ de vitórias para o clube de Palestra Itália. Sempre que o centroavante balançou as redes com a camisa palestrina, o Palmeiras jamais saiu derrotado, tendo empatado em apenas duas ocasiões.

Em fevereiro deste ano, em partida válida pelo Campeonato Paulista, o camisa 9 já havia sofrido lesão similar. No entanto, na ocasião, o clube optou por tratar clinicamente, o que se mostrou acertado com a recuperação do jogador. Porém, o novo trauma no local, sofrido em treino com a Colômbia, na última sexta-feira, fez com que o procedimento cirúrgico agora fosse necessário.

O alento de Roger Machado está na grande fase de Willian. Bigode marcou seis gols nos últimos seis jogos – considerando os dois amistosos do Palmeiras no Panamá. Além disso, a lesão de Borja limita a disputa no ataque do Verdão.

Com Dudu e Willian praticamente garantidos entre os 11 de Roger Machado, restam duas vagas para que Moisés, Gustavo Scarpa, Hyoran e Lucas Lima disputem-na. Contra o Santos, dia 19, no Pacaembu, Dudu e Moisés, porém, estão suspensos, assim como Jailson e Luan.

 

 

 

 

FONTE – GAZETA ESPORTIVA