(Foto: Alexandre Loureiro)
Davi Ramos buscará sua segunda vitória consecutiva em duelo contra Alemão no UFC Rio (Foto: Alexandre Loureiro)

Em meio a várias estrelas do MMA nacional que estarão em ação, Davi Ramos buscará engatar uma sequência positiva no Ultimate no dia 12 de maio, quando entra em ação pelo UFC 224, na Jeunesse Arena, Rio de Janeiro. Seu rival será o alemão Nick Hein, que também chega embalado para o confronto, aumentando a expectativa por uma boa luta.

Vindo de uma vitória em sua última apresentação, em dezembro do ano passado, quando finalizou Chris Gruetzemacher pelo UFC Fight Night 123, Davi foi um dos lutadores presentes na coletiva de lançamento do UFC 224, na última terça-feira (20), e falou sobre o seu último combate, além da oportunidade de lutar em casa, diante da sua torcida.

“Luta é luta e treino é treino. Eu acho que treinei demais para a minha última luta e acabei não lutando da maneira que eu me cobro para poder me representar sempre. Toda a pressão de estar ali, e também o fato de estar vindo de uma derrota para o Serginho (Moraes), onde acredito que não perdi, mas enfim, eu vinha de derrota, então existia essa pressão, de estar no maior evento do mundo, também já tinha tempo que eu não lutava na minha categoria. Mas lutei, ganhei todos os rounds, mas não fiquei tão satisfeito. Acho que é algo mais pessoal mesmo, porque me cobro 100% em todos os treinos, para mim é fundamental, é como se eu estivesse lutando em todos os treinos. Por isso não fiquei tão satisfeito”, disse o peso-leve, que agora vindo de vitória, espera embalar no Rio de Janeiro.

“Para mim é muito importante lutar aqui no Rio de Janeiro, minha casa, minha cidade natal. É a chance de mostrar para todo mundo que eu posso lutar no UFC e vim para ficar”.

Faixa-preta de Jiu-Jitsu e dono de inúmeras conquistas na arte suave, Davi também falou sobre o seu estilo de luta, ressaltando a necessidade de ser um atleta completo, mas não fugindo da responsabilidade de ser um dos grandes representantes do Jiu-Jitsu no UFC.

“O meu estilo de luta, no Jiu-Jitsu, sempre foi um estilo completo… Eu aplico queda, eu finalizo, passo, raspo, eu faço tudo, esse é o meu jogo. Acredito que no MMA não vai ser diferente. Eu vim para o UFC para fazer o meu jogo, e onde eu cair, quero estar 100% para fazer o meu melhor, no chão ou independente da área de luta”, encerrou o brasileiro.

CARD PROVISÓRIO:

UFC 224
Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro (RJ)
Sábado, 12 de maio de 2018

Amanda Nunes x Raquel Pennington
Vitor Belfort x Lyoto Machida
Ronaldo Jacaré x Kelvin Gastelum
John Lineker x Brian Kelleher
Thales Leites x Jack Hermansson
Davi Ramos x Nick Hein
Alberto Miná x Ramazan Emeev
Júnior Albini x Alexey Oleynik
Cézar Mutante x Karl Roberson
Mackenzie Dern x Amanda Cooper
Warlley Alves x Sultan Aliev